• Nutrinha

Tipos de sal: qual o melhor?

Ok, lá vamos nós mergulhar nesse tema um-tanto-quanto-polêmico que é o sal na alimentação diária. Pra começar, vamos esclarecer uma coisa importante: o sal marinho e o sal de mesa são coisas diferentes. O sal marinho é obtido através da evaporação da água do mar e é principalmente utilizado na cozinha e em cosméticos, normalmente grosso ou em flocos, o que preserva os seus minerais. Já o sal de mesa, pode ser o sal marinho ou sal das minas de sal submetido ao refinamento industrial que acaba perdendo a maioria dos seus nutrientes.

O sódio presente no sal é importante para a manutenção do volume no plasma sanguíneo (corresponde a 50% do sangue), equilíbrio ácido-base do sangue para a transmissão de impulsos nervosos e funcionamento das células. Ou seja, nada de cortar totalmente o sal da sua alimentação! Apesar de se essencial para o nosso organismo temos que estar atento entretanto que o sal não é a única fonte de sódio na nossa alimentação. Além de estar presente naturalmente em alguns alimentos (como os lacticínios), está em abundância nos alimentos processados e ultraprocessados (o sódio é um conservante natural de alimentos), por isso é importante estar atento na quantidade que você ingere no preparo das suas refeições. A parte ruim da história é aquela que todo mundo já conhece: excesso de sal é o grande responsável pela hipertensão arterial, que ataca os vasos sanguíneos, o coração, os rins e o cérebro. O que acontece é mais ou menos o seguinte: os vasos sanguíneos criam internamente uma camada muito fina e sensível, que acaba sendo machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitos podendo entupir ou romper. Quando o entupimento de um vaso acontece no coração, causa a angina que pode ocasionar um infarto. No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao derrame ou acidente vascular cerebral (AVC). Já nos rins podem ocorrer alterações na filtração até a paralisação dos órgãos. Tenso, né?

A Organização Mundial de Saúde recomenda a ingestão de no máximo 2g de sódio/dia – ou 5g de sal refinado – para evitar doenças crônicas como a hipertensão. Pra visualizar melhor, 5g é mais ou menos 3 pitadas bem gordinhas de sal. Para o dia todo. Tem noção do drama? As últimas pesquisas apontam que aqui no Brasil, o consumo do sal é mais que o dobro! E agora, Nutrinha? Calma! Hoje já é bem mais fácil encontrar outros tipos de sais no mercado, com mais nutrientes e com menos sódio na sua composição – inclusive o famoso sal do himalaia. Dá uma olhada aqui embaixo nos tipos de sal, na quantidade de sódio na sua composição e suas principais características!

Opções de tipos de sal não faltam, né? Tem pra todos gostos e bolsos. Pra diminuir ainda mais o consumo de sódio no seu dia-a-dia, capricha nos temperos naturais. Eles ajudam a dar e realçar o sabor da sua comida. Um mix de ervas com sal também é uma ótima opção e é super rápido de fazer. A minha receita preferida vai 1 colher de sopa de: alecrim, salsinha, manjericão, orégano + ½ xícara de sal do himalaia triturado em casa. Bate tudo no liquidificador até formar um pózinho homogêneo. TCHÃRÃN! Sem mistério nenhum!

Espero ter ajudado a trazer ainda mais saúde a sua rotina!

Um super beijo!

Siga

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

​© 2019 E AGORA, NUNTRINHA? - PORTO ALEGRE, RS l BRASIL