• Nutrinha

Depoimento de quem já fez

Um belo dia resolvi mudar meus hábitos alimentares, assim, de uma hora pra outra mesmo, porque nunca tive muita paciência com dietas e sempre acabava adiando aquela famosa frase “segunda feira eu começo”, mas no momento em que tomei a decisão, pensei em como poderia fazer isso de uma forma definitiva e principalmente, positiva (no sentido de ser agradável).

Já estava por dentro do projeto que a Paula e a Fernanda estavam criando, e achei que talvez fosse uma boa ideia tentar começar justamente por ele, porque me pareceu um projeto fora daquela dieta tradicional, cheia de regrinhas, que exclui todos os alimentos gostosos da tua vida e que, pelo menos na minha experiência com dietas, nunca passou da primeira semana. Bom, lá fui eu mergulhar de cabeça com elas nessa aventura que é aprender a se alimentar de uma forma mais saudável sem sofrimento. Na primeira consulta, na minha casa, de pantufa e pijaminha – já pensou que delícia não ter que sair correndo do trabalho e pegar o ultimo horário da nutricionista já cansada de trabalhar o dia inteiro, ou ainda, ter que ficar horas esperando ser atendida? (todo mundo sabe que na área da saúde atraso parece ser regra) – a nutrinha chegou pontualmente no horário marcado, sentou comigo e fez uma análise minuciosa de toda minha rotina diária, porque é claro, ela precisava me conhecer e conhecer as minhas manias e preferências pra montar aquela dieta que fosse mais adequada às minhas necessidades. Eu não sei porque, mas achei muito menos constrangedor ser pesada, medida, apertada, etc., no conforto da minha casa, do que me sentiria em um consultório. Enfim, ela saiu de lá com a minha ficha completa, prometendo voltar com uma dieta que se adequasse ao que eu precisava e que ao mesmo tempo me deixaria satisfeita e feliz (vai dizer que alguém realmente gosta de comer frango e salada todo dia?). E foi o que ela fez.

Na segunda consulta a nutrinha chegou na minha casa cheia de apetrechos, pratos, copos, colheres, medidas (pra eu ver a quantidade que deveria comer em cada refeição) e uma dieta. Gente, tinha muita coisa gostosa naquela dieta! Muita coisa que eu nunca tinha ouvido falar também (o que eu conheci de coisa boa, vocês não fazem ideia), mas tudo parecia ter sido realmente feito pra mim, porque o que eu acho mais difícil em manter uma dieta é a falta de criatividade para inventar alimentos saudáveis e saborosos. Foi muito fácil a adaptação, de uma dieta com 6 refeições por dia, tinha uma série de substituição para cada uma delas, e para cada substituição uma receitinha ou dica de como fazer (porque nem sempre a gente sabe como preparar um mix proteico ou uma panqueca de whey, né?). No nosso terceiro encontro fomos fazer as compras no supermercado, e eu não fazia ideia de como isso é importante! Tem tanta coisa nos rótulos dos alimentos que a gente não faz ideia, às vezes, um ingrediente muda tudo sobre aquele produto! E era uma coisa que eu nunca tinha parado pra fazer, conhecer exatamente o que eu estava consumindo. Fez muita diferença!

E finalmente, no nosso último encontro, depois das medições (e sim, todas as medidas diminuíram) conversamos bastante, afinal, a dieta não acaba ali, o E agora, Nutrinha? te dá toda a base para começar uma rotina de alimentação mais saudável, mas todo o processo é uma adaptação e um aprendizado. Esse passo a passo das consultas tá explicadinho aqui no site, eu só fiz o relato pra situar mesmo como funciona, mas o que realmente é importante e faz a diferença, é que com a minha Nutrinha eu aprendi que eu não preciso ter medo da dieta, que todo o esforço é bom pra mim, é pra minha saúde, mas que tem que ser agradável fazer isso!

Nada que a gente faz sem vontade dura muito tempo. Então eu não preciso comer um chocolate escondido, eu não preciso comer uma fatia de pizza e chorar de culpa depois, porque faz parte da vida da gente sair um pouquinho da linha às vezes, mas sabendo que na próxima refeição tem que voltar. Ninguém vai te cobrar isso, a não ser tu mesma. E no fim das contas, não é uma dieta, é uma mudança de vida, de como respeitar o teu corpo, de como dar valor pra tua saúde. No primeiro dia ela me disse “nós não vamos contar quilos, a nossa meta é mudar a tua visão sobre os alimentos” e é isso gente, o meu programa acabou, mas a dieta e as minhas metinhas estão lá coladas no meu mural, porque elas vão continuar na minha rotina. Pela primeira vez, em 25 anos, eu estou aqui, seguindo a minha dieta, sem nenhum sofrimento. Feliz da vida com as panquecas de espinafre, lasanhas de berinjelas, arroz selvagem, grãos de bico e etc., e de vez em quando, claro, aquele chopinho porque ninguém é de ferro.

Lívia Mendes Neckel, tem 25 anos, é advogada e uma das primeiras a concluir o programa do E agora, Nutrinha?

Siga

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

​© 2019 E AGORA, NUNTRINHA? - PORTO ALEGRE, RS l BRASIL